03 julho, 2009

O Rapaz do Pijama às Riscas


Esta é mais uma história sobre a II Guerra Mundial. Mais uma história sobre a Alemanha e o holocausto. Mais uma história sobre os meninos que aí viveram. No entanto, esta história é diferente. Diferente, porque é apresentada na perspectiva do Bruno, um menino nazi que não compreende aquilo que se está a passar. Ao longo das páginas, este menino vai-nos deliciando e apaixonando, à medida que vamos vendo as coisas sob o seu inocente olhar.

A história começa quando a família de Bruno vai viver para um campo de concentração de que o pai está a tomar conta. Bruno passa os primeiros tempos sozinho, até que conhece um menino que vive do outro lado da vedação, que, tal como todos os que lá vivem, é muito magro, usa o cabelo rapado e um pijama às riscas. No auge da sua inocência, Bruno acaba por invejar o seu novo amigo, já que também ele gostava de poder andar de pijama todo o dia e ter mais meninos com quem brincar.

Não se pense, no entanto, que a inocência de Bruno retira a importância e a brutalidade característicos desta época. Pelo contrário, apenas a acentua, pois acaba por criar um forte contraste de sentimentos que tornam a história triste e arrebatadora.

4 comentários:

Rui Bastos disse...

Um ponto de vista no mínimo original, sobre a II Guerra Mundial! (no rhyme intended XD)

Arisu disse...

Li este livro muito antes de provevelmente ter capacidade suficiente para sugar a historia ate ao seu limite.Antes mesmo do filme, antes mesmo de ter essa capa horrorosa. ;D
Adorei simplesmente. Lembro-me de no final não conseguir conter as lágrimas. Não há simplesmente hipotese: esse livro leva-nos a pensar imediatamente no que esta certo e no que está errado, no bem e no mal. Concordo com tudo o que escreveste aí sobre a historia.
Já agora, deixei a minha opiniao sobre ele no meu blog de livros em conjunto com o Rui. Dá lá uma espreitadela se quiseres ;D

Beky disse...

Arisu:
também não gosto que ponham as imagens dos filmes como capa dos livros.
E também chorei no final. Muito.

Tinkerbell disse...

gostei do filme ainda não li o livro